13 de Janeiro 

 

Louco? 

 

Leitura Bíblica: 1 Coríntios  1.18-31 

 

Deus escolheu o que para o mundo é loucura para envergonhar os sábios, e escolheu o que para o mundo é fraqueza para envergonhar o que é forte (1 Co 1.27). 

 

     Escrevi estas linhas há um ano. E estou cada vez mais convencido de que o cristianismo é uma contra  cultura. Acabo de ver um grande contraste que prova meu ponto: há poucos dias estreou na TV mais um daqueles programas de que desconhecidos participam por algum tempo e se tornam celebridades. Chegam a receber cachê  para  comparecer a festa de pessoas que querem parecer célebres. Aliás, vivemos a era da celebridade... quanto não custa uma peça de roupa usada por sei-lá-quem que fez rigorosamente nada além de ser famoso? Por outro lado, neste mesmos dias tomei parte das despedidas de um idoso que conheci quando ele tinha seus 30 anos. Muitos homens feitos, fazendo questão de homenageá-lo em seu sepultamento, expressaram o impacto que causou em suas vidas quando meninos e adolescentes. As marcas profundas que duram até hoje e fazem diferença para gente que nem o conheceu. Morreu sem ser notícia; pessoa simples, ás vezes um pouco simplória;  nem célebre nem famoso. Não produziu obras de arte nem ficou rico. Mas em sua humildade fez muita diferença. O mundo insiste em nos dizer que precisamos ser ricos e famosos, ter certas coisas, morar em determinados lugares, ocupar determinadas posições. Por outro lado, Jesus põe diante de nós o desafio de ser servos; diz que, para alguém ser realmente grande, deve aprender a ser escravo dos demais. E ele mesmo serviu até o fim e deu a vida por pessoas que o odiavam ou simplesmente o ignoravam. Não fomos chamados para ser ricos nem famosos, mas servos como Jesus. Mas vivemos neste mundo. A pressão e tal que acabamos “dormindo no barulho” de nos gastar para atender aos  moldes desta cultura. Apesar de libertos da escravidão, como bois mansos colocamos voluntariamente o pescoço nos arreios do mundo – acreditando que precisamos de coisas desnecessárias. – MHJ

 

  A maneira de ser verdadeiramente grande é servindo  humildemente.