4 de Março

 

Enchente de amor

 

Leitura Bíblica: Atos 9.1-22

 

Tu és Deus clemente e misericordioso (Ne 9.31).

 

     Lutero certa vez disse: “Deus quer ficar ao lado de pecadores como eu, que se reconhecem pecadores”. Quando vejo que tudo que ando fazendo é pura ignorância (o pecado sempre tem a ver com ignorância), meu orgulho e prepotência desaparecem. Então, em vez de me gloriar, possa a glorificar a Deus.

      Paulo era um homem muito zeloso. Mas religião errada leva ao atrevimento, á perseguição dos outros e a ofensas a Deus. Antes de ser apóstolo, Paulo ajudou a matar cristãos por motivos religiosos; quando confessa que é o principal pecador, isso não é pouca coisa, pois está reconhecendo de público que suas mãos estão manchadas de sangue (Is 1.15). Mas é este assassino que Deus quer e vai buscar; é este homem, a quem os próprios cristãos odiavam, que Cristo transforma no maior dos apóstolos. Ele foi trazido para dentro da igreja, por Deus mesmo (At 9.15-16); por isso usamos a expressão “enchente de amor”. Foi isso que Paulo recebeu de Deus.

      Imagine uma viúva cujo marido morreu por culpa de Paulo ou uma mãe cujo o filho tenha sido preso por suas acusações e que, de repente, ouvissem esse homem pregando o Evangelho de Jesus. Somente por um transbordamento da graça, uma enchente de amor, seriam capazes de esquecer o rancor e se alegrar com a vitória de Deus!

       Essa alegria pela vitória de Deus nos mostrará que: (1) Deus não rejeita nem despreza ninguém; (2) a misericórdia de Deus se torna visível em pessoas das quais já não esperamos mais nada; (3) qualquer um pode sair de uma vida inútil para uma vida livre e responsável; (4) a única dignidade do cristão é ser um modelo de vida diferente; (5) o melhor modelo é aquele que aponta para o Criador, dizendo “Deus já me perdoou”; (6) a verdadeira alegria não é estar satisfeito consigo mesmo, mas ver alguém que estava perdido começar a louvar a Deus. – EOL

 

       Deixe a enchente do amor de Deus transbordar em sua vida.