9 de Março

 

Amabilidade

 

Leitura Bíblica: Romanos 15.1-7

 

Brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês que está nos céus (Mt 5.16).

 

      Após uma reunião de jovens na igreja, um moço cristão perguntou a seus pais o que os levou a aceitar  Cristo naquela noite. O casal sabia que seu filho daria sua primeira mensagem e resolveu assistir de surpresa. A resposta foi: “Bom, resolvemos seguir a Cristo porque depois de você aceitar Cristo, deixou de ser respondão.” Para eles a prova da realidade da fé em Cristo foi a nova atitude do rapaz. Antes de se entregar a Cristo, como muitos jovens, tinha respondido mal muitas vezes. Agora  demonstrava um fruto do Espírito de Deus, a “amabilidade” (Gl 5.22). Vivendo pacificamente, gerou o clima para ganhar os pais para Cristo.

   Nosso texto ensina como os cristãos  devem promover a união, que os fortes agradem os fracos a bem deles, esperando pacientemente o seu crescimento espiritual. O forte deve simpatizar com o fraco na fé. Os pais de uma criança sabem “agüentar” os choros por enquanto porque são adultos. Os fracos na fé querem a proteção gentil dos mais fortes. Porém, quando recebem censuras freqüentes, retraem-se desanimam. Certa feita um cristão, atribulado e pesaroso, expôs os seus problemas a um cristão mais desenvolvido na fé e saiu confortado. Ao se deparar com um amigo, disse com alegria “Quando entrei, sentir que todas as estrelas da minha vida tinham caído. Mas depois de ouvir meu caso, aquele irmão soube colocar todas   as estrelas no seu devido lugar! “Foi mais um caso de alguém ser restaurado com mansidão (Gl 6.1). A simpatia gera confiança. Quando, porém, aquele que se julga forte não exibe a paciência com os fracos, perde a confiança deles. Bom é quando vemos que o alvo da nossa vida é trazer louvores ao Pai celestial pelas nossas vidas, conforme o versículo-chave. Queira Deus nos dar a gentileza de Cristo para com todos, na família, na vizinhança e na igreja. – TL

 

    A amabilidade é o adoçante das verdades amargas.