17 Abril

 

Oração de alto

 

risco

 

Leia -> 1 Reis 18:36-39

Responde-me, ó Senhor, responde-me, para que este povo saiba que tu, o Senhor, és Deus e estás trazendo este povo de volta para ti! (v.37).

 

     Durante sua perigosa carreira, Evel Knievel tentou saltar com motocicleta sobre 13 ônibus Double decker (dois andares), um tanque de tubarões, 52 carros amassados e uma caixa de cobras cascavéis e Lee passava façanha, ele orava, “Deus, cuida de mim. Aqui vou eu...”

    Será que Elias sussurrou algo parecido antes de seu embate com Baal? Ele praticamente destruir a idéia de que a oração é uma atividade chata e tímida. Mas, quantos de n os oramos por obrigação e achamos a oração algo enfadonha?

      A oração pode envolve aventura! No início do confronto, Elias observou, “De todos os profetas de Deus, o Senhor, eu fui o único que sobrou, mas os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta” (1 Reis 18:22). Estranhamente, ele aumentou o risco insultando o bando de Baal e encharcando com água o altar que Deus iria inflamar.

     Outro aspecto da oração de alto de Elias era o fato de tudo depender da resposta de Deus. Elias disse, “... Ó Senhor, Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó! Prova agora que és o Deus de Israel, e que eu sou servo...” (v.36). A reputação e o destino espiritual de Israel estavam em jogo. E mais, Elias sabia que estaria perdido se Deus permanecesse em silêncio.

     Mas Elias sabia que Deus responderia. Sua oração foi ousada porque ele deixou os detalhes com Deus. Ele disse, “Responde-me, ó Senhor, responde-me, para que este povo saiba que tu, o Senhor, és Deus...” (v.37). E Deus lançou uma bola de fogo sobre o altar.

    Este fato demonstra o que pode acontecer quando nos engajamos na oração de alto risco. Deus pode tê-lo chamado para buscar algo que o fará dobrar seus joelhos em oração. Leve-lhe o seu pedido e veja Sua resposta.

 

-Jennifer Benson Schuldt