2 de Maio

 

Adora fim de semana

 

Leia-> Deuteronômio 5:12-15

Vocês têm seis dias para trabalhar, mas o sétimo dia é o dia sagrado de descanso, quando todos deverão se reunir para adorar a Deus. Não façam nenhum trabalho nesse dia... (Levítico 23:3).

   

     Trabalho 44 horas por semana, mas espero ansiosamente pelo fim de semana. Dois dias para dormir até mais tarde e não ir para o escritório. Como eu adoro meus finais de semana. O descanso semanal de pelo menos um dia é observado na maior parte do mundo, sendo que o domingo é o dia de folga em muitos países. Então, como surgiu o conceito do dia de descanso?

    Em Deuteronômio 5, Deus ordenou ao Seu povo que tirasse um dia de folga do trabalho para um período de descanso, renovo, reflexão e adoração (vv.12-14). Este dia de descanso é estabelecido no contexto da libertação da escravidão no Egito (v.15). Os judeus foram escravos no Egito por 430 anos e sua labuta não era um trabalho das 9h às 17h. Os escravos não têm direitos. Eram 24 horas por dia, sete dias por semana por mais de quatro séculos de trabalho duro. Imagine como eles se sentiriam se tivessem um dia de descanso!

   Em Singapura, onde eu moro, existem mais de 100 mil trabalhadores imigrantes que trabalham como empregados domésticos. Os seus contratos de trabalho não incluem o benefício de “um dia de descanso”. Mas deviam, pois Deus disse: “.... Não faça nenhuma trabalho nesse dia, nem você [...] nem os seus escravos, nem as suas escravas [...] Assim como você descansa, os seus escravos também devem descansar” (v.14) .

    Mais do que apenas um tempo para descanso e renovo, o sábado também é uma ilustração da nossa salvação. O princípio sabático é não trabalhar. Não é preciso trabalhar porque a nossa salvação é alcançada pela graça divina. É uma obra da graça, uma obra realizada unicamente por Cristo.

    Descansamos na obra consumada por Jesus na cruz. Falando nisso, o autor de Hebreus afirma: “...nós, os que cremos, recebemos o descanso prometido por Deus...” (Hebreus 4:3).

 

-K. T. Sim