5 de Maio

 

O mistério

 

Leia-> 2 Coríntios 3:7-18

...refletimos a glória que vem do Senhor. Essa glória vai ficando cada vez mais brilhante e vai nos tornando cada vez mais parecido com o Senhor, que é o Espírito (v.18).

   

     Recentemente meu filho de quatro anos estava me explicando o que queria ser quando crescesse: médico. Eu o ouvir falar de outras opões – astronautas, artista ou piloto de carros de corrida. Entretanto, ele jamais mencionou qualquer uma das minhas profissões – pastor ou escritor. Portanto, com alguma cautela, perguntei: “Você já pensou em ser pastor?”

     “Não,” ele respondeu, “não gosto de pastores.”

      Sei que meu filho não pretendia ferir minha identidade com o seu comentário. Muitas das mensagens que recebemos da nossa cultura, porém, podem fazer exatamente isso.

     Se estivermos lutando com a autoestima, as palavras de Paulo podem nos fazer vacilar. Paulo explica que for um mistério, “o segredo que ele escondeu de toda a humanidade durante os séculos passados,” ...porém que agora foi revelado (Colossenses 1;26). E esta revelação é bárbara, escandalosa: a presença do próprio Jesus ressurreto habita em todo aquele que recebeu a misericórdia divina.

   A salvação, portanto, não é meramente um ato jurídico através do qual Deus determina se somos perdoados ou não; salvação também é um ato de recriação divina. Ele nos recria para sermos o que deveríamos ser desde o princípio (2 Coríntios 5:17). Ele nos salva do pecado, de nós mesmos. Jesus nos faz novos nos dando o Seu próprio eu por inteiro. R esta obra redentora tem enormes implicações. Deus restaura realmente, compartilhamos a “...força de Cristo...” (Colossenses 1:29).

    Nesta realidade não há lugar para odiar a si mesmo. Não há espaço para ouvir as mentiras que dizem que somos desagradáveis, indesejáveis ou desprezíveis.

    Como disse C. S. Lewis: “O que podemos entender, se a doutrina cristã for verdadeira, é que a nossa própria existência complexa não é o desvio anômalo que parece, mas a débil imagem da corporificação divina.

 

–Winn Coller