19 de Maio

 

 Amor intenso

 

Leia-> 1 Samuel 2:12-36

Por que é que vocês olham com tanta ganância para os sacrifícios e ofertas que eu ordenei que me fosse feito? Eli, por que você honra os seus filhos mais do que a mim...? (v.29).

 

      Você  está sendo cruel, ninguém me ama! Já ouvi estas palavras muitas vezes. Apesar de meus filhos terem personalidades bem diferentes, ambos odeiam a disciplina. Após tê-los disciplinado com “punições”, aprendi que criar filhos tem a ver com perseverança (Gálatas 6:9). É difícil absorver este conceito numa cultura imediatista e egoísta.

     O elemento principal do coração de Deus é a Sua consistência altruísta. Eternamente fiel e imutável, Seu amor permanece como um baluarte nas tempestades da vida (Jeremias 31:3; 1 João 4:9-11). Como a fundação de uma estrutura, em Seu amor os limites nos dão força. A sociedade retrata incorretamente o amor como permissividade irrestrita. Limites não prendem; protegem, dão vida e demonstram amor (Provérbios 19:18). Porque Ele   quer tanto nos dizer “sim”, às vezes, precisa dizer “não”.

    Deus deseja que o amor dos pais reflita o Seu amor por nós. Criar nossos filhos sem disciplina é retratar uma falsa compreensão do desejo de Deus (Deuteronômio 8:5). Os pais precisam ver o caminho da verdade e da justiça de acordo com a Palavra, além do conflito momentâneo.

    Os pais enfrentam a tentação de evitar ou ser inconsistentes na disciplina. No livro de 1 Samuel 2, Eli e seus filhos mostram o resultado de ceder a tais tentações: egoísmo. Eli tirou proveitos por não disciplina seus filhos. Embora os castigasse por seu comportamento, ele engordou devido ao pecado deles. (1 Samuel 2:29).

     Falar não surte efeitos se não for  acompanhado da atitude (vv.22-25). Os pais são egoístas ao se recusarem a disciplinar os filhos porque estão ocupados, querem evitar o conflito ou estão mais preocupados em ser  “amigos”

     A maior demonstração de amor é a disposição de morrer para si mesmo para o bem do outro.

 

-Regina Franklin