.10 de Junho

 

Singular

 

Leitura Bíblica: Apocalipse 5.1-14

 

Àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro sejam o louvor, a honra, a glória e o poder, para todo o sempre! (Ap 5.13).

 

    Jesus não é o fundador de uma das grandes religiões, um mártir, alguém que ensinou coisas boas, foi incompreendido e morto. Ele é único. Não existiu, nem jamais haverá alguém que possa comparar-se a ele. Por que?

    Primeiro, porque ele é Deus. O próprio conceito de Deus não admite a existência de nenhum outro similar. Costumamos pensar na divindade como algo hierárquico, uma espécie de super-homem. Mas Deus é a causa primeira de todas as coisas. Nele tudo existe. O apóstolo Paulo descreve: nele existimos e nos movemos. O próprio universo, que até onde sabemos é infinito, está nele contido. Diante da visão de Jesus glorificado, o apóstolo João, seu amigo chegado enquanto andou aqui na Terra, perdeu os sentidos. Ele é tão sublime que nem ao menos podemos tentar compreendê-lo (e muito menos explicá-lo).

   Segundo, porque abriu mão de sua condição divina para tornar-se um de nós. Basta tentar imaginar a proporção entre este grãozinho de areia cósmica (a Terra) e o universo para se ter uma pálida idéia do quanto isto significa. Terceiro, porque sendo um de nós, não quis notoriedade. Se vivesse em nossos dias não seria notícia. Não andou por palácios, mas pelas estradas poeirentas, curando os aflitos, libertando os oprimidos, purificando os leprosos, misturando-se com povão. Quarto, porque ressuscitou e voltou ao lugar a que pertence: à direita do Pai. E reassumiu toda a glória a que tem direito.

    A ele pertencem todo o louvor e glória e majestade. Ele é o Deus Eterno que se fez homem e nos emprestou tamanha dignidade que jamais poderemos compreender.

    Portanto, se cristão não é fazer parte de uma religião, mas é estar totalmente comprometido com este Jesus que é digno de todo nosso amor e o que mais tivermos para dar. – MHJ

 

      A Jesus Cristo glória e honra por toda a eternidade.