17 de Junho

 

Vigilância

 

Leitura Bíblica: 1 Timóteo 4.8-16

 

Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina (1Tm 4.16).

 

    A vigilância acompanha toda a nossa vida. As firmas de segurança vivem disso. Alguém já disse que precisamos de quatro olhos na cabeça – e poderíamos acrescentar: especialmente no centro de uma grande cidade. A presença do pecado nos corações gerou uma categoria de pessoas que vivem da falta de vigilância. As noções empenham-se em vigiar seu sistema financeiro e protegem suas fronteiras contra possíveis invasores.

   Quem dirige um carro precisa permanecer atento à estrada. Recentemente um jovem adormeceu por um momento ao volante do seu carro e colidiu com outro. Naquele, um passageiro saiu vivo, com as pernas quebradas,mas sua esposa e filha morreram. O jovem saiu ileso, mas terá de viver com a memória dessa tragédia.

   A vigilância é uma necessidade constante na vida espiritual também. Jesus aconselhou seus discípulos: “Vigiem e orem para que não caiam em tentação” (Mt 26.41). O inimigo espreita aqueles que se declaram ao lado de Cristo. São alvos das artimanhas de Satanás. Em si, a tentação não é pecado, mas cair  em tentação o é. Por isso, “aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!” (1Co 10.12). Portanto você precisa criar o hábito da leitura da Bíblia, pois nela encontra firmeza para sua fé e conselhos para viver agradando a Deus. O jovem servo de Deus Timóteo recebeu do seu mentor Paulo o conselho que lemos acima. A mente é uma área que precisa ser vigiada, pois ela é o centro do nosso pensamento. Este forma nosso caráter, que determina nossas ações. “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida” (Pv 4.23). O rodapé da passagem traduz “coração” como “pensamentos”. Sem dúvida, pessoas da Bíblia como Noé e outros, que deixaram um bom exemplo, orientaram seus pensamentos por seu amor ao Senhor Deus – e experimentaram a renovação da mente por não descuidarem da Vigilância (Rm 12.1,2). – TL

 

    Nada merece mais atenção do que nossa relação com Deus.