.20 de Junho

 

Não há escassez

 

Leitura Bíblica: Romanos 5.1-11

 

A esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu (Rm 5.5).

 

    Milhares de pessoas estão hoje sendo afetadas por crises – crise de energia, crise de água, crise de habitação, etc. Muito se tem feito, de uma ou outro maneira, para minimizar esses problemas. A conservação das fontes de energia e de água, por exemplo, é uma delas. Antigamente se contavam esses recursos como certos e permanentes. Pense como a sua escassez afeta a nossa vida e os nossos hábitos: todos nós necessitamos delas para o nosso dia-a-dia. Mas a falta desses elementos também pode servir para nos mostrar como precisamos da misericórdia de Deus e como ficaríamos se ela nos fosse negada. Crises podem nos dar aquela percepção necessária e reanimadora de que o amor de Deus por nós nunca está em perigo de racionamento ou crise. Quando somos influenciados por esse amor, entendemos  os sacrifícios necessários para conservação das fontes de energia e água, tão necessárias ao mundo. Da mesma maneira, sempre que nos lembramos do amor incomparável de Jesus que nos é mostrado por sua vida, seu ministério e sua morte e ressurreição, podemos entender os sacrifícios necessários para a divulgação do seu reino e do seu evangelho, tão necessários à nossa vida como a energia e a água. Ele não precisa ser reabastecido nem redimensionado e nem é racionado pelas nossas ações.

   Benditas sejam essas realidades, registradas pelo Espírito Santo na sua Palavra, por meio de servos fiéis e daqueles que nos transmitiram todos aqueles fatos, com apelos e desafios para estendê-los às gerações que se sucedem. Por quê? Porque “o amor (de Deus) jamais acaba” (1Co. 13.8). Não há e nunca haverá racionamento no amor de Deus. – EOL

 

    O amor de Deus é o único recurso que cresce quando é usado e distribuído.