5 Julho

 

Boas Palavras

 

Leia-> Provérbios 18:15-21

O que você diz pode salvar ou destruir uma vida... (v.21).

 

     O funeral da minha avó trouxe a oportunidade perfeita para dizer aos meus tios-avôs o quanto lhes era grato. Quando minha avó ficou viúva, eles incluíram meu jovem pai na família deles, levando-o aos passeios de férias e amando-o como mais um de seus filhos. Com lágrimas nos olhos, agradeci-lhes por sua contribuição em minha vida.

     “Meus irmãos e eu somos parte do seu legado,”  disse.  “Fomos criados por um pai amoroso graças a vocês.” “Obrigado, essa foi a melhor coisa que alguém já nos disse,”  responderam.

       Guardarei esse  momento para sempre e estou feliz por ter-lhes agradecido enquanto viviam. E me questiono, por que não compartilho palavras de bênção com maior freqüência. Por que esperar por um funeral antes de expressar uma “eulogia” , uma “boa palavra”?

      O livro de Provérbios nos lembra que nossas palavras têm poder para salvar e destruir uma vida (18:21), pois “...as palavras amáveis nos alegram” (12:25) e “...as palavras do sábio podem curar” (12:18). Salomão acrescenta que: “A palavra certa na hora certa é como um desenho de ouro feito em cima de prata”  (25:11).

    Se as palavras são tão poderosas – e quem pode dizer que não são – então assumamos  compromisso de engolir o humor sarcástico que fere, as palavras descuidadas que machucam e compartilhemos apenas os pensamento que revigoram e alimentam a alma. Digamos apenas boas palavras e já que a “eulogia” está intimamente relacionada aos funerais, podemos também chamá-las de boas palavras (bon mots, o equivalente em francês soa deliciosamente como bombons).

      Quantos bon mots você vai compartilhar hoje? Distribua-os como doces franceses para a sua família e colegas de trabalho e escreva alguns para que possam ser saboreados muito tempo depois de passado o momento.

-Mike ittmer