13 Julho

 

Nosso canto do mundo

 

Leia-> Gálatas 6:7-10

Portanto, sempre que pudermos, devemos fazer o bem a todos, especialmente aos que fazem parte da nossa família (v.10).

 

          Um episódio de seriado conta a história de um piloto de helicóptero que gerenciava um negócio paralelo; vendia ferro-velho no mercado negro. Ele pagava uma ninharia às crianças coreanas para que estas recolhessem o metal dos campos de batalhas infestados de minas terrestres. Ao recolherem, muitas crianças se feriam e eram mutiladas.

       Um cirurgião do exército, que tratou alguns garotos feridos, descobriu o negócio e indignou-se. Ele internou o piloto, indefinidamente, por razões médicas desconhecidas. Frustrado, o ganancioso piloto perguntou ao doutor se ele queria  salvar o mundo. O médico sorriu e respondeu: “Não, só o meu cantinho.”

     Que maneira positiva de enxergar o ato de ajudar os necessitados ao nosso redor. Faz-me lembrar um dos desafios de Paulo à igreja da Galácia – “...sempre que pudermos, devemos fazer o bem a todos...” (Gálatas 6:10).

     Apesar de não podermos acabar com a prática do aborto em nossa parte do mundo, podemos auxiliar uma jovem grávida assustada e confusa que tenha optado pela vida do bebê. Da mesma forma, não podemos resolver o problema da fome, mas podemos  doar alimentos a algumas instituição de caridade ou levar uma refeição a um vizinho que esteja passando por momentos difíceis. Estas são algumas maneiras de resplandecer a luz e o amor de Jesus em nosso próprio canto do mundo (Mateus 5:16).

     Jamais devemos subestimar o grande impacto que nossos pequenos esforços podem ter na vida dos outros. Demonstrar preocupação com alguém em momento de necessidade física ou emocional pode finalmente abrir a porta para compartilharmos sobre como Jesus é capaz de suprir uma necessidade espiritual ainda maior.

      Como John Maxwell disse: “As pessoas não se importam com o quanto você sabe – até que saibam o quanto você se importa.”

-Jeff Olson