29 Julho

 

Estradas esburacadas

 

Leia-> Salmo 40:1-8

Tirou-me de uma cova perigosa, de um poço de lama. Ele me pôs seguro em cima de uma rocha e firmou os meus passos (v.2).

 

      Meus pensamentos estavam longe, quando de repente um buraco na estrada sacudiu meu carro. Enquanto balançava pelo cruzamento, que dei conta de que tinha ignorado as placas que indicavam uma rodovia em obras. Encoberto pela escuridão da madrugada o desnível no asfalto era imperceptível aos olhos. Porém, dias depois enquanto dirigia por outro trecho da mesma estrada a suavidade da via recentemente pavimentada fez meus pneus cantarem com delicadeza. A diferença era visível.

     Isaías 26:7 diz: “O caminho das pessoas direitas é fácil; tu, ó Deus justo, tornas plano o caminho por onde elas andam.” O caminho do Senhor é sempre correto e Ele é fiel para endireitar as veredas diante de nós. Contudo, assim como a rodovia em construção, às vezes o tempo e os métodos de Deus não correspondem as nossas expectativas. Limitados por nossa restrita visão, lutamos para compreender o que Ele está fazendo quando tentamos ultrapassar os locais em que as obras ainda estão em andamento. Algumas vezes o solavanco provoca a dor. Confusos e na tentativa de perscrutar a escuridão, buscamos recobrar as forças.

      Neste lugar de incertezas, a confiança é fundamental (Salmo 40:3-4). Ansiamos pela paz e descanso divinos – para ver o resultado do que Ele está fazendo. Todavia facilmente esquecemos que os vales escuros surgirão ao longo da estrada (Salmo 23:4). Sem confiança, nossa fé enfraquecerá. Sem fé continuaremos a vacilar em esforço próprio (Hebreus 11:6).

       Nestes trechos descobrimos como Davi, que “esperar com paciência significa encontrar libertação (Salmo 40:1). Não importa se atoleiro é conseqüência das nossas próprias escolhas ou de outros, somente Ele pode nos salvar. Pés firmes em terreno sólido, não se referem ao que vemos, mas a quem olhamos.

-Regina Franklin