21 Agosto

Quem se importa?

Leia-> Malaquias 1:6-14
“Será que alguém pode roubar a Deus?” Mas vocês têm roubado... 9Malaquias 3:8).


     O livro de Malaquias foi escrito por volta de 420 a.C. como um alerta à nação de Israel. Deus acusou os sacerdotes de oferecerem sacrifícios “imundos” (Malaquias 1:7). Ele estava preocupado especificamente com a desobediência direta da nação ao não oferece-lhe o seu melhor (v.8), e por ficarem com o dízimo que Ele havia ordenado que fosse dado à Sua obra (3:8-14).
    Mas o que isso tem a ver conosco? Não oferecemos sacrifícios de animais a Deus. A morte e ressurreição de Seu Filho Jesus Cristo foi um sacrifício definitivo para os nossos pecados (Hebreus 10:1-18). Então, o alerta de Malaquias não se aplica a nós, certo? Não podemos ser acusados de oferecer sacrifícios impuros a Deus. Ou podemos?
     Vejamos algumas situações em que damos “sacrifícios impuros” a Deus:
     Tempo: Levanto de manhã e tenho centenas de coisas para fazer. Passo o dia correndo planejando parar um minuto para orar e ter a Palavra. Durante o dia todo sinto aquela urgência de passar tempo com Deus. Depois de oitocentos ou novecentos minutos, estou cansado e querendo dormir. Não apenas o deixei em segundo plano – mas o deixei fora dos meus planos!
     Dinheiro: Preciso de tanta coisa! Digo a mim mesmo que darei dinheiro para a obra do Senhor no mês que vem, quando eu estiver mais tranqüilo. Mas o princípio bíblico é claro: Deus quer o nosso melhor em todas as áreas. Ele não precisa do meu dinheiro; Ele quer que eu invista em Sua obra para que Ele possa estar em meu coração. “Pois onde estiverem as suas riquezas, aí estará o coração de vocês (Mateus 6:21).
     Por causa do sacrifício definitivo de Jesus, no matamos mais bois e cabras. Mas Deus ainda precisa estar em primeiro plano em todos os aspectos de nossas vidas – tempo, dinheiro, talento, amigos, escolhas. Que sacrifícios você precisa fazer hoje?
-Tim Gustafson