24 Agosto

Ídolos em nós

Leia-> Miqueias 1:1-7
...acontecerá porque o povo de Israel pecou e se revoltou contra Deus. Quem é culpado da revolta de Israel? [...] E quem é responsável por haver santuários pagãos em Judá? É o povo de Jerusalém! (v.5).


      Enquanto estávamos numa conferência em Nashville, meu marido e eu resolvemos aproveitar o tempo livre para ver a famosa réplica do Partenon – o templo da deusa grega Atena. Embora a arquitetura inspirasse admiração, não conseguíamos nos esquivar do sentimento de frio e vazio que se abateu sobre nós ao encontrarmos. Com seus 12m de altura, a estátua dourada de Atena era o centro de todas as atenções. Meu coração se sentiu pesado quando pensei nas multidões que se curvaram diante da estátua origina.
      A tentação da idolatria existe em cada um de nós. Em nós há uma luta entre o desejo de criar um deus que nos sirva e o chamado para ser um servo de Deus. Nos tempos do bezerro de outro, a idolatria de Israel não era simplesmente uma rejeição a Javé. Ao contrário, infelizmente, tentaram criar a imagem do próprio Deus (Êxodo 32:4-6).
     Gerações se seguiram e o rei Jeroboão teve a fatídica idéia de determinar onde as pessoas prestariam adoração. Seu orgulho conduziu o povo ao cativeiro espiritual. Durante o reinado de Manassés, Judá adorava na cidade certa, mas eles permitiram que a cultura local moldasse a sua adoração. Manassés chegou a erguer altares pagãos e um ídolo no templo de Deus (2 Crônicas 33:7-9). Isso é que é falta de foco!
     Considere os seguintes fatos sobre Deus para evitar que se adore um deus fabricado:
         • Só Ele é digno de nossa adoração (Habacuque 2:18-20).
         • Nós não o definimos; Ele é que nos define (Romanos 1:21-23).
         • Ele é totalmente soberano; qualquer definição menos que isso provém do homem (Isaías 45:9).
     Clame a Deus hoje e peça-lhe que revele os ídolos em seu coração. Um coração puro conduz à verdadeira adoração.
-Regina Franklin