9 de Setembro

 

Como crianças

 

Leitura Bíblica: Marcus 10.13-16

 

Digo-lhes a verdade: quem não receber o reino de Deus como uma criança nunca entrará nele (Mc 10.15).

 

      Filmes infantis invadem as telas levando pais e filhos aos cinemas. No entanto, nessas sessões também há adultos desacompanhados de crianças. O público fiel dos filmes infantis não é só crianças. A verdade é que muitos desses filmes encantam qualquer pessoa de bom senso. Na maioria das vezes trazem uma simples mensagem de moral, algumas com princípios cristãos, além de personagens muito engraçados.

     Esses filmes são atraentes para as crianças porque dialogam facilmente com o mundo infantil, onde tudo pode acontece, como no antigo programa educativo Mundo da Lua, do personagem Lucas Silva e Silva. Para os adultos, os filmes são interessantes por ocuparem as crianças ou mesmo por nos distraírem por alguns momentos. Dessa forma, adultos e crianças vêem o mesmo filme de modo diferente. As crianças também se aproximaram de Jesus e quiseram ficar próximas dele, mostrando que também com ele sua relação era diferente da dos adultos. Pudera! Aquele homem transformara cinco pães, dois peixes num montão de comida e ainda andava por cima das águas e curava os doentes sem precisar de remédios. Tocar nas vestes de Jesus, subir em seu colo, tapar os seus olhos e perguntar a Deus "Quem é?" devia ser o máximo. Ficaram encantadas com a presença de Deus, e ainda hoje esse encantamento e fascínio podem ser percebidos em crianças que tenham aprendido algo sobre a pessoa de Jesus. Jesus é Deus com quem as crianças podem se divertir e usar a imaginação sem ser censuradas. Só crianças para  ficarem fascinadas com Jesus e agirem de forma simples, sem máscaras e sem medo, diante de quem tudo sabe. Para elas não existiam dúvidas de que o centro das atenções devia ser Jesus, é a Ele que se entregavam com toda a confiança, coração e imaginação; é essa a entrega de que precisamos para entrar no reino de Deus. - LM

   

      Tornar a ser criança é fazer uma entrega total a Deus, inclusive da nossa imaginação.