12 Outubro

Resposta delicadas

Leia-> Provérbios 15:1-5
A resposta delicada acalma o furor, mas a palavra dura aumenta a raiva (v.1).

      
Sentindo a raiva dominando meu ser, abri a gaveta, peguei uma pasta e a joguei sobre a mesa. O barulho alto satisfez minha irritação, mas só por um instante. Minha frustração só aumentou, ao perceber minha alteração emocional. Tudo por causa da festa da escola de minha filha. Chateada por perder a festa devido a outro compromisso com a escola, minha menina de nove anos desrespeitosamente descontou sua frustração em mim. Ela se irritou por eu mandá-la cumprir seu compromisso inicial. Todo o meu esforço para ensinar sobre o caráter foi ofuscado pelo meu próprio comportamento.
     Ninguém pode nos encher de raiva tão rápido quanto nós mesmos. Por mais devotos que busquemos ser, todo pai ou mãe tem momentos em que a fala é tudo, menos delicada e sábia (Provérbios 31:26). Ser pais é trabalho difícil, tão difícil quanto aprender a crucificar nossa própria carne e ensinar os filhos a fazer o mesmo.
     Como pais, queremos que nossos filhos aceitem a nossa correção (Provérbios 15:5), mas, como filhos de Deus, os pais precisam acatar a correção que Ele nos traz através de Sua Palavra (Hebreus 12:6). Por causa de nossa natureza pecaminosa, a delicadeza raramente é nossa reação normal às situações conflitantes. Na verdade, é um comportamento que devemos permitir que o Espírito Santo cultive em nossas vidas (Gálatas 5:22-23).
      Uma maneira garantida de caminhar com as próprias forças é permitir que um conflito com nossos filhos torne-se um desafio de autoridade. Uma resposta delicada pode não acabar com a raiva que nossos filhos sentem, mas com certeza atocaia a nossa própria raiva. Podemos permitir que as emoções comandem, ou podemos andar no poder do Espírito Santo seguindo os princípios de Sua Palavra, mesmo que nossa carne esteja exigindo o contrário (Gálatas 5:17).
-Regina Franklin