16 Outubro

Normas do Teu querer

Leia-> Lamentações 3:37-40
Ninguém pode fazer acontecer nada se Deus não quiser (v.37).

     
Adelaide Pollard, nasceu em 1862, nos EUA, serviu a Deus por muitos anos com seus dons do ensino e da escrita. Seu maior desejo, porém, era ser missionária na África. Finalmente ela conseguiu acertar os detalhes e estava pronta para embarcar. Mas aí, inesperadamente, ela foi obrigada a cancelar os planos. Isso deixou Adelaide decepcionada e deprimida. Deus falou a seu coração e ela escreveu: “Molda e refaze todo o meu ser, segundo as normas do Teu querer.” Seu poema completo tornou-se o famoso hino “Vontade Soberana” (HCC 472).
    O profeta Jeremias também passou por circunstâncias deprimentes, como vemos relatado no livro das Lamentações. Ele viu Jerusalém ser destruída pelos babilônios e o povo de Deus sofrer com um governo severo (Jeremias 39:1-14; 52:12-14).
    Mas, como Adelaide, em vez de se render à tristeza, Jeremias sujeitou-se e permaneceu na presença de Deus. Ele reconheceu que seu povo tinha pecado contra Deus. Adelaide também reconheci, dizendo que “a vontade do homem é o pecado básico que ele comete contra Deus.” Por meio de arrependimento e da busca por Sua orientação, tanto a compositora quando o profeta enxergaram esta verdade: Deus é soberano (Lamentações 3:37). O que importa é a vontade dele, não a nossa.
     Em vez de queixarem e irar-se (v.39), eles sabiamente escolheram examinar o que estava fazendo e voltar ao Senhor (v.40). Esta é uma fórmula segura para empregarmos ao nos deparamos com mudanças inesperadas em nossos planos. Ao buscarmos os caminhos de Deus, e não os nossos, nos sujeitaremos e aquietaremos.
    Com o tempo, o povo de Judá foi liberto e reconstruiu a cidade de Jerusalém. E, com o tempo, Adelaide Pollard recebeu a permissão de Deus para servi-lo na África – segundo as normas do Seu querer.
-Tom Felten